Feeds:
Posts
Comentários

Archive for 9 de outubro de 2011

Post_Lêda Mello_Mudar os outros

MUDAR OS OUTROS

Lêda Mello*

 

Cada pessoa é um universo único e particular. Deus, na sua infinita sabedoria, quis que não houvessem dois seres iguais, nem mesmo os filhos que são gerados dentro de nós. É nisto que reside uma das maravilhas do viver: nesta diversidade. Somos todos diferentes uns dos outros e cada um de nós tem potencial para enriquecer a vida do outro. E o que nós fazemos com esta maravilha? Queremos que os outros sejam conforme o nosso molde, que sejam uma cópia nossa. Ora, se nem Deus, na sua infinita sabedoria, quis assim, como poderemos querer que o outro seja de acordo com a nossa vontade? Não conseguiremos. Por conta disto é que um grande número de pessoas tem problemas de relacionamentos.

A sugestão é começar por você mesmo. Observe as suas impressões digitais. Não existe outra pessoa, na Terra inteira, que tenha digitais iguais as suas. Você já verá a primeira grande diferença. Depois, pense na fenômeno da sua geração. Você não tem, apenas, os genes oriundos da sua mãe ou apenas os do seu pai. Tem muito mais! Os genes de cada um deles já são uma combinação dos genes dos pais deles, e os pais deles já vêm com uma outra combinação… e assim a cadeia genética foi se formando, até chegar a você. O seu filho é diferente de você e da outra pessoa que o gerou, ainda que seja filho de vocês dois, porque já trouxe as informações genéticas do pai combinadas com as suas.

Percebe esta individualidade?

De forma semelhante às combinações genéticas acontece com as combinações comportamentais. É um processo semelhante, voltado para os comportamentos. Ou seja, você aprendeu ou decidiu este ou aquele comportamento a partir das suas figuras parentais que, por sua vez, aprenderam ou decidiram a partir das figuras parentais deles e segue a sequencia, cada um deles contribuindo com comportamentos oriundos de meios diferentes, de tal forma que ninguém sabe onde começou este ou aquele comportamento.

Mas eles estão aí.

Portanto, não há como conseguir que duas pessoas sejam iguais ou que sejam conforme a nossa vontade. Cada um tem o seu universo próprio. Ir contra isto é como bater com a cabeça contra a parede: só irá se ferir. Faça uma experiência. Na próxima vez em que você quiser mudanças de outra pessoa, comece por você mesmo. A verdade é que tudo começa a partir de nós mesmos. Comece aceitando que da mesma maneira que você se reserva o direito de ser como é, o outro também tem este mesmo direito. 

O primeiro grande passo para relacionamentos harmoniosos é aceitar o outro como é.

Esta diversidade é ruim? De jeito nenhum! Pelo contrário, é maravilhosa! É uma fonte inesgotável de aprendizagem, de amadurecimento, de enriquecimento espiritual e emocional.

Quando compreendemos o significado das pessoas serem diferentes é como se abrisse um mundo novo, com infinitos recursos para nos conhecermos e nos tornarmos melhores. E os recursos estão aí, por toda parte, sem qualquer ônus, desde não lhes cobremos ônus.

*Lêda Mello: Arapiraca (AL), Terapeuta Holística, poeta, pedagoga.
ledayara@terapeutaholistica.com.br

Ser poeta_LêdaMello

Anúncios

Read Full Post »