Feeds:
Posts
Comentários

Archive for the ‘Jonathan Wilson-Fuller: Querer demais’ Category

Post Ajahn Brahm

Querer demais

(A razão para incluir esse poema, com a gentil permissão de seu autor no livro “Antes que o dia acabe seja feliz”, de Ajahn Brahm¹, é o fato de que ele foi escrito quando Jonathan tinha apenas 9 anos!)

Jonathan Wilson-Fuller²

Querer uma vida sem dor é querer demais.  

É errado querer uma vida sem dor,

Pois a dor é a defesa do nosso corpo.

Ainda que não gostemos dela,

E ninguém gosta da dor,

A dor é importante

E devemos ser gratos à dor!

De que outra maneira saberíamos  

Que devemos afastar a mão do fogo?

Nosso dedo da lâmina?

Nosso pé do espinho?

Então, a dor é importante

E a ela devemos ser gratos!

Ainda assim  

Há um tipo de dor que não serve a nenhum propósito,

Há a dor crônica

Que é o tipo de dor mais poderoso e que não serve como defesa.

É, na verdade, um ataque,

Um ofensor que está dentro de nós

Um destruidor de nossa felicidade

Um agressor terrível para nossas habilidades

Um invasor impiedoso de nossa paz pessoal

E uma contínua ameaça à vida!

A dor crônica é o mais difícil obstáculo que a mente deve ultrapassar 

E algumas vezes é impossível ultrapassá-.

Ainda assim, temos que tentar.

E tentar.

E tentar.

Porque, se não tentarmos, ela nos destruirá.

E 

Dessa batalha virá algo de bom

A satisfação da dor ultrapassada

A conquista da felicidade e da paz, da vida apesar da dor.

Essa é uma grande conquista

Uma conquista muito especial, muito pessoal,

Um sentimento de força

De força interior

Que precisa ser sentido para ser compreendido.

Então, devemos aceitar a dor

Mesmo que ela seja, às vezes, destruidora.

Porque ela faz parte da ordem das coisas

E a mente pode lidar com ela

E a mente se fortalecerá com a prática.

ajahn-brahm
¹Ajahn Brahm 

Ajahn Brahmavamso Mahathera (mais conhecido por Ajahn Brahm) nasceu em Londres em 7 de agosto de 1951. Decidiu tornar-se budista aos 16 anos, depois de ler livros budistas quando ainda estava no colégio. Obteve uma bolsa de estudos para a Universidade de Cambridge onde estudou Física e depois de formado e de lecionar num colégio em Devon resolveu ir para a Tailândia ser monge.

Foi ordenado em Bangcoc aos 23 anos pelo abade de Wat Saket (Tan Chao Khun Prom Gunaphorn). A partir daí, passou nove anos estudando e treinando na floresta a tradição da meditação sob a orientação de Ajahn Chah.

Em 1983 foi convidado a fazer parte de um monastério em uma floresta próxima de Perth, na Austrália Ocidental.

Ajaan Brahm é na atualidade o Abade desse monastério. Ele também é o Diretor Espiritual da Buddhist Society of W.A (Dhammaloka Buddhist Centre), Conselheiro Espiritual da Buddhist Society of Victoria e Diretor Espiritual do Cittabhavana Buddhist Hermitage em Bundanoon, N.S.W, e por fim ele é também o Patrono Espiritual da Buddhist Fellowship’s. Estabeleceu um monastério para monjas, (Dhammasara Nun’s Monastery), que na atualidade está sob a liderança da Ven. Ajaan Vayama.

Ajaan Brahm visita com regularidade as prisões no Oeste da Austrália para ensinar Budismo e meditação. Viajando com frequência, Ajaan Brahm dirige retiros de meditação tanto na Austrália como em outros países da Ásia.

Em busca da iluminação, ele esteve em retiro isolado por 6 meses. Durante esse período ele não esteve em contato com nenhuma pessoa.

Ele é o autor de Mindfulness, Bliss, and Beyond: A Meditator’s Handbook e Who Ordered this Truckload of Dung.

Ajaan Brahm emprega uma singular combinação de erudição, meditação e um senso de humor travesso para comunicar os ensinamentos Budistas para uma ampla e variada audiência.

Honathan em sua janela
²Sobre o Jonathan Wilson Fuller

Nasceu em 18 de julho de 1979 em Sydney, Nova Gales do Sul.

Jonathan Wilson-Fuller leva uma vida bastante incomum. Ele é muito bem dotado intelectualmente e, ao mesmo tempo, sofre de uma ampla deficiência física, incluindo uma intolerância grave a baixos níveis de ingestão e inalação de produtos químicos – um nível de intolerância raramente encontrada em qualquer lugar do mundo.

Jonathan está confinado a duas salas de atmosfera controlada na casa da família e, apesar de viver na dor constante com problemas físicos que o deixam imóvel na maioria das vezes, tem otimismo e amor pela vida.

Embora ele tenha sido incapaz de se aventurar fora da casa desde Janeiro de 1990 (quando tinha 10 anos), sua mente está livre para passear e sua imaginação livre para vagar. Ele é um poeta e escritor publicado e, na idade de 14 anos iniciou os estudos universitários por correspondência matemática, ciências e filosofia.

Ele gosta de conversar e partilhar com as pessoas e, embora sua situação coloque limitações práticas na interação pessoal , ele não foi intimidado por esse problema. Se reúne regularmente com as pessoas através de sua janela. Muitas pessoas de todas as esferas da vida e de todas as idades têm compartilhado conversa com Jonathan pela janela.

Dr. David Suzuki, o renomado ambientalista mundial, refere-se a Jonathan como “meu herói“, e Lord Yehudi Menuhin, o violinista distinguido, chama-lhe “a consciência da humanidade“. Mike Whitney, após sua recente visita, disse, “a reunião com Jonathan mudou a minha a vida. Sua coragem e força interior me tocou de uma maneira que poucas outras pessoas que já fiz.”

Jonathan capturou os corações e mentes de incontáveis pessoas, com sua enorme coragem, indefectível humor e espírito indomável.

Read Full Post »