Feeds:
Posts
Comentários

Archive for the ‘Morris West – A verdade’ Category

Morris West_A verdade

Morris L. West* ( As Sandálias do Pescador )

A verdade

Tudo deveria nos estimular a sermos abertos e verdadeiros em relação a nós mesmos, a nossos pensamentos e emoções; deveria nos estimular a sermos honestos conosco e com os outros. Por outro lado, é absolutamente necessário compreender que nada disso me autoriza a julgar os outros.

Posso lhe dizer quem sou, comunicar-lhe minhas emoções com franqueza e honestidade, e esse é o maior bem que posso fazer a mim mesmo e a você. Mesmo se meus pensamentos e emoções não lhe agradam, continuam sendo o melhor que tenho para lhe dar; revelar-me de maneira aberta e honesta é o melhor que tenho para lhe oferecer. Até onde for capaz, vou tentar ser honesto comigo e me comunicar honestamente com você.

Outra coisa é me estabelecer como juiz de suas ilusões. Isso é brincar de Deus. Não devo querer ser o guardião de sua integridade e honestidade: essa é uma tarefa sua. Só posso esperar que minha honestidade comigo mesmo lhe permita ser honesto com você mesmo. Se eu puder lhe encarar e lhe dizer de minhas faltas e vaidades, minhas hostilidades e medos, meus segredos e vergonhas, talvez você seja capaz de admitir suas coisas para você mesmo e confidenciá-las a mim, se quiser.

É uma rua de mão dupla. Se você for honesto comigo, me contar suas vitórias e fracassos, sofrimentos e alegrias, isso vai me ajudar a encarar minhas próprias coisas e a me tornar uma pessoa inteira. Preciso de sua abertura e honestidade: você precisa da minha. Você vai me ajudar? Prometo que vou tentar lhe dizer quem sou de verdade. Mas, se eu lhe disser quem sou você pode não gostar de quem sou, e isso é tudo que tenho…

Custa tanto ser uma pessoa plena, que muitos poucos são aqueles que têm a luz ou a coragem de pagar o preço…
É preciso abandonar por completo a busca da segurança e correr o risco de viver com os dois braços.
É preciso abraçar o mundo como um amante.
É preciso aceitar a dor como condição da existência.
É preciso cortejar a dúvida e a escuridão como preço do conhecimento.
É preciso ter uma vontade obstinada no conflito, mas também uma capacidade de aceitação total de cada consequência do viver e do morrer.

*Morris West, nasceu na Austrália em 1916 e morreu aos 86 anos, em 1999, na sua mesa de trabalho, enquanto escrevia. Em 1937 graduou-se em matemática, pela Universidade de Melbourne. Morou na Austrália, Alemanha, Itália, Inglaterra e EUA. Começou a escrever quando morava na Itália, em 1950, onde publicou seu primeiro sucesso: Advogado do Diabo, traduzido para 27 idiomas, com mais de 160 milhões de livros vendidos. Cinco de seus livros foram adaptados para o cinema, sendo “Sandálias do Pescador” o ganhador de inúmeros prêmios do cinema.

Morris Westa_Verdade
Anúncios

Read Full Post »